Redes Sociais




Google+

android

Falha do aplicativo do Banco do Brasil no Android e iOS

BancoDoBrasil-falha-como-acessar

Por mais que você tenha cuidado com sua senha, mesmo assim você não está livre de ter sua conta violada ou invadida, não por sua culpa, e sim do próprio banco.

O aplicativo do Banco do Brasil para iPhone e Android apresentou uma falha na noite da última segunda-feira, dia 9, permitindo que clientes tivessem acesso à conta corrente de outros. Pelo Twitter, centenas de correntistas relataram o ocorrido ao banco, que informou que já tinha identificado o problema, sem riscos nas transações. Como é necessário ter a senha, nenhuma transação irregular foi efetuada.

A mensagem “Identificamos o problema nos aplicativos. Mesmo sem riscos nas transações, suspendemos o acesso. Lamentamos o ocorrido” foi a resposta do banco aos clientes que entraram em contato pelo Twitter. O banco ainda não se posicionou oficialmente sobre a falha. Nesta terça-feira, dia 10, o aplicativo está funcionando normalmente.

Fonte: Novas do Dia

Lulu é o "boteco" feminino

logo_lulu

Lulu é um aplicativo, disponível para Android e iOS, criado por Alexandra Chong, em que as mulheres avaliam os homens.
Ela teve a idéia após uma reunião informal com suas amigas e a conversa foi em torno dos seus namorados, maridos, “ficantes”. O que elas falavam, muito provavelmente não falariam na presença dos mesmos.
Neste aplicativo, as meninas não escrevem o que querem, somente avaliam os meninos num pequeno questionário de perguntas e respostas.
Em pouco tempo o aplicativo já tem mais de 1 milhão de usuárias, criando um grande desconforto para muitos homens, que estão se sentindo agredidos com a brincadeira.
Esta prática já é muito antiga por parte dos homens que fazem o clube do “Bolinha” nos botecos, falando tudo o que pensam das mulheres e muitas vezes de maneira cruel.
Obviamente, os mais encomodados são os que tem piores avaliações no aplicativo.
Mas ainda acho que a autoavaliação é sempre indicada para os meninos que estão em baixa na opinião das meninas, pois respeito gera respeito, gentileza gera gentileza.
Não quer brincar não desça para o play.
O perfil pode ser facilmente removido na página de desativação de contas do Lulu.

Organizando o amigo secreto

 Amigo-Secreto

Fim de ano é época de confraternização e muita correria. Mas se você ficou encarregado de organizar o amigo secreto do trabalho ou mesmo em casa, saiba que é possível fazer o sorteio e comunicar os participantes em poucos minutos, com ajuda de aplicativos para smartphone e tablets.

Os participantes recebem mensagens com o local onde será realizada a festa, preço do presente e o nome de seu amigo, entre outras informações. E tem até programa que, na hora do sorteio, evita combinações entre pessoas que não se dão bem. Só é preciso conferir com os amigos se todo mundo recebeu o e-mail, pois filtros de spam podem barrar esse tipo de comunicado.

Amigo Oculto – Grátis para iPhone

Para que este aplicativo faça as combinações, escolha os amigos e dispare as mensagens com os resultados, o usuário tem de criar um grupo e colocar a data da entrega. É possível incluir dados como valor mínimo e máximo dos presentes, além de escolher um organizador da brincadeira.
Adicionados os nomes, é só tocar no botão de sorteio. Pronto: os participantes recebem uma mensagem de e-mail com todas as informações sobre a brincadeira.

Amigo Secreto Lite –  Grátis para Android

Programa bem enxuto, para smartphones Android, que utiliza mensagens de SMS para o envio do sorteio.

Na tela principal (com um único botão), o usuário clica em “Adicionar” e insere os dados sobre a festa de entrega dos presentes (data, local e hora). Depois, é hora de incluir os participantes, com nome, sexo e número de telefone celular. O resultado é enviado para cada aparelho.

Amigo Secreto App –  Grátis para iPhone

Aplicativo que automatiza o sorteio e dispara mensagens com detalhes sobre a festa de entrega. A primeira coisa a fazer é criar um grupo, que pode ter nomes como “trabalho” ou “família”, por exemplo. Na hora de adicionar os participantes, é possível importar as informações da lista de contatos do smartphone ou inseri-las manualmente.

Um recurso interessante do programa é aquele que impede o sorteio entre pessoas que não se dão bem. Assim, evita-se constrangimentos durante a festa.

Terminado o grupo é hora de disparar a mensagem. Nela é preciso colocar o lugar da festa, hora e o preço do presente. Os integrantes recebem um e-mail com a mensagem e o nome do amigo secreto sorteado.

Permite ao organizador saber os resultados do sorteio, mas é preciso pagar US$ 0,99 (cerca de R$ 2,3) para ter essa informação indiscreta.

Secret Santa –   Grátis para Android

São apenas três passos para o sorteio do amigo secreto: definição da data e do local da entrega dos presentes, inserção dos dados dos participantes e envio dos nomes.

Os amigos recebem o resultado por e-mail, com as informações sobre a festa, quem vai participar da brincadeira, faixa de preço do que deve comprar e quem é o seu amigo secreto.

Inclui um recurso que permite ao organizador da brincadeira ver o resultado do sorteio, o que pode ser útil quando alguém faz confusão e duas pessoas dizem que tiraram a mesma pessoa…

Fonte: UOL

Para o Chrome não travar no horário de verão com o Android

android2

 

  • Como ainda não há uma atualização do Chrome que corrija o problema, a solução é modificar o fuso horário do seu dispositivo com Android. Para isso, acesse as configurações do seu aparelho e toque na opção “Data e hora”.
  • Desmarque a opção “Fuso horário automático” para que o sistema não volte ao fuso horário apresentado pelo bug. Essa opção, no entanto, não altera a hora automaticamente.
  • Escolha a opção “Selecionar fuso horário”. Caso precise, role a tela para acessar essa alternativa.
  • Escolha um fuso horário com uma hora de atraso em relação ao local onde você está. No caso deste tutorial, foi escolhido o de Geórgia do Sul (GMT -02:00), o anterior era o fuso horário de Brasília (GMT -03:00).

Pronto, o Chrome volta a funcionar normalmente. Acredita-se que o Google libere uma correção em breve, mas, enquanto isso, use o tutorial para corrigir o problema. Quando a atualização sair, basta acessar as configurações novamente e marcar a opção “Fuso horário automático”.

Vírus para celulares tentam roubar dados pessoais

virus_celular

O número de ameaças virtuais criados para atingir celulares e tablets cresceu 58% ao longo de 2012, de acordo com novo relatório da Symantec, fabricante do antivírus Norton. Do total, 32% das amostras analisadas pela empresa tentavam roubar dados pessoais dos usuários, como endereços de e-mail, números de telefones de contatos e até mesmo a geolocalização do usuário, registrada por meio do GPS do aparelho.

O crescimento das ameaças para dispositivos móveis é impulsionado pela adoção do Android, que, no final de 2012, estava em 72% dos smartphones vendidos em todo o mundo, segundo a consultoria Gartner, enquanto o iPhone, da Apple, detinha 14% do total. “O Android é o principal alvo por ter maior participação de mercado e também por oferecer um ambiente mais aberto aos desenvolvedores”, diz André Carrareto, estrategista em segurança da Symantec no Brasil.

O estudo mostra que as ameaças para Android representaram 97% de todas as registradas pela Symantec em 2012. No caso do iOS, da Apple, apenas uma única ameaça foi encontrada no período analisado. “O iOS teve mais vulnerabilidades que o Android documentadas, mas oferece um ambiente mais controlado, que é menos propício para a disseminação de ameaças”, diz Carrareto.

A Apple analisa todos os aplicativos criados por terceiros antes de disponibilizá-los por meio de sua loja de aplicativos, a App Store. No caso do Android, o Google não analisa os aplicativos desenvolvidos antes de colocá-los à disposição dos usuários no Google Play, o que permite a publicação de aplicativos com código malicioso.

Segundo a Symantec, o uso do jailbreak, realizado por usuários do iPhone que desejam usar aplicativos que não estão disponíveis na App Store, é o motivo da maior quantidade de vulnerabilidades descobertas no iOS. “Para fazer o jailbreak de um dispositivo, o usuário precisa explorar uma vulnerabilidade do software”, diz a equipe da Symantec.

Apesar de não ser um procedimento seguro e condenado pela Apple, isso estimulou a busca por novas vulnerabilidades do iOS que, em 2012, chegaram a 387. No caso do Android, apenas 13 brechas de segurança foram registradas no mesmo período.

Tipos de ataques

Segundo Carrareto, além das ameaças que roubam dados do usuário, os dispositivos móveis também sofrem com malware que funcionam como os vírus tradicionais para PCs. Cerca de 26% do total de malware móvel identificado pela Symantec é deste tipo, o que indica que os cibercriminosos estão migrando técnicas já estabelecidas para celulares e tablets.

Além disso, há ameaças que controlam o celular do usuário para enviar mensagens de spam para os contatos ou mensagens de texto (SMS) para números promocionais, que direcionam o valor do custo da mensagem para um cibercriminoso. Algumas das ameaças encontradas (9%) também tentavam alterar configurações do aparelho do usuário.

Google reage

De acordo com a Symantec, por conta do alto número de ameaças direcionadas ao sistema Android, o Google tem se esforçado para prevenir ataques. De acordo com a Symantec, com o lançamento da versão 4.2, o Google apresentou um recurso que pede uma confirmação para o usuário no caso do envio de uma mensagem para um número promocional. Contudo, apenas 2% dos celulares com Android utilizam esta versão do sistema.

O Google também tem divulgado rapidamente correções para vulnerabilidades encontradas no Android, segundo a Symantec, mas a distribuição das atualizações para os usuários são lentas, em virtude da análise de fabricantes e operadoras.

 

Fonte: IG Tecnologia